Skip to main content

[Epifanias] - Ler e Escrever

Hoje quis vir cá explicar uma coisinha ou duas. Não que tenha de dar satisfações a alguém, para além de mim própria, mas porque senti uma necessidade profunda de o fazer.

Tenho dito que gosto de escrever. Talvez, quem sabe... até escrever um livro? É quase como o ar que respiro. Eu disse escrever, não publicar! Gostava de terminar alguma coisa, para variar... Já que comecei a escrever (e tenho cerca de 50000 palavras neste meu projecto... gostava de o terminar!). Quanto a ler, não passo um único dia sem ler, pelo menos, algumas palavras. É claro que existem aqueles momentos, aos quais gosto de chamar "bloqueios de leitor", momentos em que não me apetece ler. Pura e Simplesmente. No meu íntimo, a voz diz-me que deveria sentir-me culpada. Mas, logo a seguir, uma outra vem substituir essa que me diz que são momentos necessários. É como quem diz "Só se aprecia verdadeiramente a felicidade, se se conhecer também a tristeza". Em relação à leitura, só apreciaremos verdadeiramente os momentos de leitura, quando sentirmos aquela falta indiscutível de os ter... É claro que isto é o que eu sinto. Não estou a generalizar, nem coisa que me valha...!

Há uns tempos criei um outro blogue. Furiosa com a vida e com os elementos que me rodeavam. Farta, fartinha da minha passividade quanto a isso... Tenho muito a agradecer às pessoas que me acompanharam estes anos todos e que, por opção própria ou mútuo acordo, deixaram de o fazer, mas há atitudes que não se devem ter, há palavras que não se devem dizer. Estava farta que me aconselhassem em relação a várias coisas e de seguir cegamente o que me diziam (se bem que os outros não têm culpa disto). Precisava de me libertar. Precisava de viver sem a presença dessas pessoas. De voltar a ser eu própria. De ser Eu.

Abri a página do blogspot e, num impulso, criei o "Passos de Mudança". Assemelha-se mais a um diário do que a outra coisa qualquer. E tal como os diários e blogues que iniciei até hoje, também este ficou esquecido... O "Passos de Mudança" permaneceu oculto dos olhos alheios. Até já cheguei a eliminá-lo. Mas, por qualquer razão, hoje voltei a activá-lo. E li o que tinha escrito.

Eis alguns excertos, para quem me quiser ler...

Quinta-feira, 26 de Abril de 2012


"(...) escrevi, pelo menos, duas páginas do meu projecto. É claro que os textos ainda estão em bruto. Tantas modificações que ainda terei de fazer para ficar do meu agrado! Sim, porque eu escrevo para mim (este blogue é a prova viva... ainda está privado!!) e não para os outros. Tenho escrito com toda a paixão a correr-me nas veias, com a excitação do enredo a percorrer-me o corpo, a mente e a alma. A alegria por sentir as personagens desenvolverem-se por si e os seus diálogos surgirem do nada... Até o meu coração se ressente do que sinto pela escrita. É um sentimento que não consigo explicar!... Tomara que seja contínuo e cada vez melhor. Admito que ainda tenho muito a melhorar. A minha escrita não é perfeita. A impaciência que caracteriza o meu ser suplanta em muito as ideias que me fluem no pensamento. A minha escrita ainda peca por isso. Mas, um dia... um dia, nem isso me irá parar! Terei a paciência e a tolerância necessárias para aguentar firmes as ideias que flutuam na minha mente.

Hoje, (...) fui ao Fórum comprar um livro: "O Guerreiro Lobo", da Sandra Carvalho, o segundo da saga. Ohh, que dizer? Cada vez mais apaixonante! A ausência de carícias e ternuras que sinto na minha vida e me faz sentir extremamente carente é largamente compensada pela leitura que tenho feito desta nossa grande escritora portuguesa. A fome pela leitura das suas palavras só é saciada quando chego ao fim do livro ou quando, por fim, me rendo ao cansaço para dormir.

Comecei a ler o livro por volta das 13h e estou na página 205 (são agora 23h, sendo que terminei às 22h30 para vir escrever aqui). A minha leitura é muito lenta, comparativamente à das outras pessoas. Eu leio silenciosamente, sim. Mas ouço a minha voz no interior e tento assimilar cada palavra, cada frase, cada figura de estilo, cada pormenor que embeleza a escrita da escritora (...). Sei que o faço inconscientemente, mas a lentidão deriva daí.

Sabem aquela sensação curiosa que nos percorre o corpo todo semelhante a um formigueiro e que termina no centro da palma das nossas mãos e dos nossos pés até chegar ao coração e preencher o peito por completo, quase até nos faltar o ar?? É o que tenho sentido... É uma sensação arrebatadora que nos preenche o corpo por completo... Isso aliado ao facto de não parar de chorar ao ler as palavras da Sandra Carvalho... Não sei porquê, mas sinto uma enorme vontade de chorar e, não, não é de tristeza. É por ter recuperado o que julguei ter perdido de forma irremediável. Mais uma batalha ganha. Voltei a apaixonar-me pela leitura. A luz de esperança reacendeu-se.

Espero continuar com esta avidez à leitura. Só assim poderei ganhar a Guerra.

O primeiro desafio a que me lancei dei por cumprido logo no primeiro dia...
Mentira.
É um desafio que deve ser continuamente alimentado para não cairmos no erro de o deixar esmorecer. Daí que tenha de o fazer, todos os dias. E tenho levado uma barrigada de leitura... Não que me esteja a queixar! Não o faria, se não o quisesse... Ultimamente, só faço o quero, quando quero e com quem quero, que por norma geral é só comigo mesma."

Bom... ao olhar para estas palavras, não consigo deixar de sorrir.
Na altura do excerto deste post, "O Guerreiro Lobo" era o segundo livro que estava a ler este ano (se não estou em erro).
Hoje, já conto com 26 lidos (quase 27), dois blogues que carinhosamente me aceitaram, "Os Livros Nossos" e "Tertúlias à Lareira", nos quais colaboro e um blogue meu, no qual estou a escrever agora, sobre o qual pairam novamente as minhas inseguranças em não conseguir levá-lo avante. É claro que, por enquanto, é só um espaço de compilações. Por tudo o que tenho conseguido alcançar (nem sempre sozinha, obviamente... tenho muito a agradecer às pessoas que me rodeiam e me emprestam livros, me oferecem livros e as suas palavras de incentivo). Mas quem sabe... não evolua para algo mais?

E chego agora ao que eu queria: Sei que tenho muito a melhorar. Sei que a minha escrita não é a melhor, que pode conter erros ortográficos e bla bla bla... mas é minha. A única que tenho e que tenho tentado melhorar... every single day! Sei que parece parvoíce dizer que escrevo para mim. Escrevo... talvez não só para mim, mas principalmente para mim, escrevo, sim! Sei que vou levar alguns pontapés de pessoas que não partilham as mesmas opiniões que eu ou a mesma forma de ser. Isso vai magoar-me, mas também vai ajudar-me. Temo as opiniões dos outros. Oh, se temo! Mas, acima de todas elas, temo a minha - que, devo dizer, é um pouco destrutiva. É ela que não me tem deixado avançar. É ela que me tem colocado macaquinhos no sótão e me impedido de avançar. É ela que ofusca todo o brilho que tenho para espalhar pela vida dos outros. Se estou a exagerar nas expressões? Talvez... mas é o que sinto... Temos de acreditar em nós próprios e eu... tenho tentado, a todo o custo, fazê-lo.

Comments

Popular posts from this blog

Contos| 5 ideias para escrever

Depois de um mês que foi um D E S A S T R E, surge Março com a luz ao fundo do túnel. 
Ainda estou doente, mas se não me puser de pé o corpo e a mente habituam-se ao bem bom da caminha e não pode ser. Chega de mandriar. De pé, decidi escrever. Como se uma coisa tivesse a ver com a outra...
Eu repito: decidi escrever. Em 2013 terminei o meu primeiro draft e fiquei com menos um esqueleto na gaveta com a promessa de reduzir os restantes. Em 2014, peguei-lhe e dei-lhe uma volta de 180º, integrei muitas coisas, novas situações, personagens, twists, mas... achei que ME faltava algo enquanto escrevinhadora, talvez mais experiência como leitora. Vai daí, deixei as ideias em lume brando e dediquei-me à leitura; li de tudo, li muito, li livros pequenos e grandes, em português e inglês, físicos e e-books. 
Em 2015, propus-me a terminá-lo. E quem anda nas ruas do editanço e etc e tal, sabe como funciona. Aiiii, que isto está tão bom. Hãããn qu'é que andaste a beber?!?! Está horrível! Fui eu que e…

"A Grande Revelação", de Julia Quinn

Goodreads
Opinião
Quando se trata de Julia Quinn, não consigo ser imparcial. Não, correcção: não sei ser imparcial. Para falar a verdade, não que o seja nos outros livros que leio, mas com esta autora é diferente.
Este livro é especial, por muitos motivos. Um deles é ter revelado o GRANDE segredo que é absolutamente fenomenal. Ainda outro prende-se pelo dom que ambos os protagonistas têm em comum. Um gosto que também é o meu... e não, não vou dizer qual é porque seria um spoiler de todo o tamanho. Esperei muito tempo – talvez umas duas semanas para comprar o livro que eu pensava que sairia a dia 27 de janeiro, e mais duas semanas para comprá-lo efectivamente depois do lançamento - mas, puf, isto não é nada certo? Nada, comparado com os meses que ficarei à seca à espera do 5#, oh dear Lord…Focando a história, que isso é que importa, tinha muitas expectativas sobre ela. Quando lemos um ou dois livros de uma dada autora, ainda é como a outra. É novidade e, por gostarmos tanto, tanto, tanto,…

yWriter

Nota aos LeitoresDecidi partilhar algumas dicas, programas, sites, etc que me têm ajudado a desempenar na escrita. Incrível foi eu já ter este post escrito e agendado e alguém me dizer: tenta usar a escrita e o blogue como "testemunho" e não como "confidência". Por isso, eis-me aqui... com uma dica que me tem realmente ajudado! 
 *

Utilizo este programa há uns anos e só tenho coisas boas a dizer!

O que é yWriter?