Skip to main content

[Opiniões] - "Um Refúgio para a Vida", de Nicholas Sparks


Sinopse

Katie, uma jovem reservada e bonita, vai viver para a cidade de Southport, na Carolina do Norte, onde todos se interrogam sobre o seu passado. Que mistérios esconderá aquela mulher que parece determinada em encobrir os seus encantos e evitar novos laços afectivos? No entanto, e apesar de todas as suas reservas, Katie começa a criar raízes naquela pequena comunidade, à medida que uma nova amizade e um novo amor lhe vão fazendo baixar as defesas. Nicholas Sparks traz-nos uma protagonista fragilizada por um amor que se desvirtuou e que tem de aprender a lidar com as suas sequelas se quiser voltar a amar.

Opinião

Confesso que, desta vez, a capa não me chamou a atenção, mas quem ler vai entender o seu significado tocante. A sinopse, contudo, despertou-me curiosidade. Como foi emprestado e disseram-me muito bem dele, decidi dar uma oportunidade ao autor e abafei as ideias preconcebidas que tinha. Obrigada C.M., pelo empréstimo.

O autor conta-nos a história de Katie, uma jovem mulher que, maltratada pelo marido, Kevin, arranja coragem para fugir dele e vai viver para Southport, uma cidade calma e pacata. Tenta camuflar-se ao tentar passar despercebida na vida dos habitantes da cidade.

Admito que a ideia não é inovadora. Livros sobre violência doméstica há, por aí, aos pontapés (e não digo isto com parecer negativo. É triste ver isto acontecer que em pleno século XXI), fugas de casa e romance também, mas o autor escreve bem e acrescenta pormenores que parecem caracterizá-lo enquanto autor. Disse “parecem”, porque só li um livro e não tenho um conhecimento abrangente para generalizar, mas já vi vários filmes baseados nos livros dele e a negatividade das minhas ideias preconcebidas acabou por desaparecer. Tem aquela “marca” própria, sabe como despertar curiosidade no autor e fá-lo ansiar por mais. Gostei disso. Sabem quando consideramos um homem charmoso pelas suas atitudes galanteadoras, voz profunda e essência calma e apaziguadora? Pois bem, foi o que eu achei da escrita de Nicholas Sparks. Fiquei agradada por ver que continha aquele “charme masculino” e isso prendeu-me às páginas. Li o livro em pouco tempo; é um livro que se desenvolve rapidamente e a acção não estagna, o que constitui um ponto muito positivo.

Já tive a experiência de fazer um trabalho sobre o tema, há uns anos e, de contactar com a realidade (se, bem que, indirectamente), mas os episódios, em flashbacks, permite-nos ver a crueldade da violência física e, pior ainda, psicológica. O certo é que as mazelas no corpo desaparecem, com o tempo, mas as psicológicas permanecem. Katie, como tantas outras mulheres no papel de vítima, vê-se como culpada por algumas atitudes do marido, mas a bolha acaba por rebentar.

Na nova cidade, o inevitável acontece e Katie começa a ganhar mais confiança em si própria e nos outros. Trava amizade com uma vizinha misteriosa e conhece Alex, um homem viúvo e pai de dois filhos e rapidamente passa a fazer parte da sua rotina.

Kevin, marido de Katie, tem muito que se lhe diga, mas é impossível ficar-lhe indiferente. O papel de marido preocupado e incapaz de se controlar está muito bem construído. O autor dá-nos a conhecer os pensamentos mais íntimos deste homem desequilibrado. Ora, está bem e lúcido, ora raivoso e paranóico. A mudança de humor é alarmante.

O final é repleto de acção e termina de uma forma muito comovente (lá está, a “marca” própria de que falava).

Gostei e não descarto a hipótese de ler mais livros deste autor, num futuro próximo.

Nota: Também disponível n'Os Livros Nossos

Comments

Popular posts from this blog

Contos| 5 ideias para escrever

Depois de um mês que foi um D E S A S T R E, surge Março com a luz ao fundo do túnel. 
Ainda estou doente, mas se não me puser de pé o corpo e a mente habituam-se ao bem bom da caminha e não pode ser. Chega de mandriar. De pé, decidi escrever. Como se uma coisa tivesse a ver com a outra...
Eu repito: decidi escrever. Em 2013 terminei o meu primeiro draft e fiquei com menos um esqueleto na gaveta com a promessa de reduzir os restantes. Em 2014, peguei-lhe e dei-lhe uma volta de 180º, integrei muitas coisas, novas situações, personagens, twists, mas... achei que ME faltava algo enquanto escrevinhadora, talvez mais experiência como leitora. Vai daí, deixei as ideias em lume brando e dediquei-me à leitura; li de tudo, li muito, li livros pequenos e grandes, em português e inglês, físicos e e-books. 
Em 2015, propus-me a terminá-lo. E quem anda nas ruas do editanço e etc e tal, sabe como funciona. Aiiii, que isto está tão bom. Hãããn qu'é que andaste a beber?!?! Está horrível! Fui eu que e…

"A Grande Revelação", de Julia Quinn

Goodreads
Opinião
Quando se trata de Julia Quinn, não consigo ser imparcial. Não, correcção: não sei ser imparcial. Para falar a verdade, não que o seja nos outros livros que leio, mas com esta autora é diferente.
Este livro é especial, por muitos motivos. Um deles é ter revelado o GRANDE segredo que é absolutamente fenomenal. Ainda outro prende-se pelo dom que ambos os protagonistas têm em comum. Um gosto que também é o meu... e não, não vou dizer qual é porque seria um spoiler de todo o tamanho. Esperei muito tempo – talvez umas duas semanas para comprar o livro que eu pensava que sairia a dia 27 de janeiro, e mais duas semanas para comprá-lo efectivamente depois do lançamento - mas, puf, isto não é nada certo? Nada, comparado com os meses que ficarei à seca à espera do 5#, oh dear Lord…Focando a história, que isso é que importa, tinha muitas expectativas sobre ela. Quando lemos um ou dois livros de uma dada autora, ainda é como a outra. É novidade e, por gostarmos tanto, tanto, tanto,…

yWriter

Nota aos LeitoresDecidi partilhar algumas dicas, programas, sites, etc que me têm ajudado a desempenar na escrita. Incrível foi eu já ter este post escrito e agendado e alguém me dizer: tenta usar a escrita e o blogue como "testemunho" e não como "confidência". Por isso, eis-me aqui... com uma dica que me tem realmente ajudado! 
 *

Utilizo este programa há uns anos e só tenho coisas boas a dizer!

O que é yWriter?