Skip to main content

[Epifanias] - Porquê Moleskine?



Muitos escritores, artistas e artistas (aka aspirantes a escritores) utilizam este caderno…

Quanto a mim, comecei a utilizar o Moleskine por intermédio de uma estudante de Arte – uma pessoa que já foi das minhas amigas mais chegadas.

Sempre achei piada ao caderno: pequeno, preto, com pontas arredondadas, folhas lisas, sem linhas, geralmente com uma bolsa extensível para guardar lá alguma coisa. 

Com este caderno na mão, sempre me senti muito artista e não no sentido de “aspirante a escritora”, mas “artista-artista”, uma espécie de pintora, por assim dizer. E agora já sei o porquê. Há coisas que me tiram do sério… mas esta é pelo bom sentido!

Estive a pesquisar e eis o site que descobri: Moleskine.

Faço-vos um apanhado aqui:

“O caderno Moleskine® é o herdeiro do lendário caderno usado nos últimos dois séculos por artistas e pensadores, como Vincent Van Gogh, Pablo Picasso, Ernest Hemingway e Bruce Chatwin. (…) foi produzido durante mais de um século por um pequeno encadernador francês que o fornecia às papelarias parisienses frequentadas por uma elite internacional de artistas e escritores de vanguarda. Este fiel companheiro de viagens guardou esboços, notas, histórias e ideias antes de se tornarem pinturas famosas ou livros aclamados.”

Aiii sinto-me tão “artista” neste momento (e agora, é para ambos os sentidos)! Pode parecer-vos descabido e exagerado, mas é um orgulho enorme dar os meus passos de uma forma semelhante à destes Grandes Artistas!

“Em meados da década de 1980, o pequeno caderno preto deixou de estar disponível. Bruce Chatwin conta toda a história do seu caderno favorito, que alcunhou de “moleskine”, no seu livro “The Songlines”.”

“Em 1997, um pequeno editor milanês voltou a dar vida ao lendário caderno, atribuindo-lhe este nome literário e resgatando desta forma uma tradição extraordinária. Seguindo os passos de Chatwin, o caderno Moleskine® inicia uma nova jornada, desta vez como um complemento indispensável à actual tecnologia portátil. Capturando a realidade em movimento, vislumbrando e registando detalhes, inscrevendo o carácter único da experiência em papel: o caderno Moleskine® é uma bateria que armazena ideias e sentimentos, liberando a sua energia ao longo do tempo.”

E, para terminar:

“(…) Moleskine é sinónimo de cultura, viagens, recordações, imaginação e identidade pessoal, tanto na vida quotidiana como no mundo digital.”

Vou ser sincera: concordo TÃO PLENAMENTE com a última frase que aqui coloquei. Sempre que viajo, levo-o comigo. Sempre que saio, lá vai ele na mala. Ultimamente não, pois não tinha espaço nos Moleskine que tinha e, daí ter ido comprar um… 

Ter um Moleskine já faz parte de mim, enquanto pessoa e enquanto “artista” (aka aspirante a escritora). 

Aconselho a sua compra e a sua utilização! É uma sensação muito boa... 
*

E vocês, onde rabiscam os vossos escritos, as vossas ideias, as vossas inspirações?

Comments

  1. Muito gira, a história do mítico caderninho. Ando ansiosa para comprar o Style Guide!

    ReplyDelete

Post a Comment

Deixa aqui as tuas epifanias ^^
A gerência agradece :)

Popular posts from this blog

Contos| 5 ideias para escrever

Depois de um mês que foi um D E S A S T R E, surge Março com a luz ao fundo do túnel. 
Ainda estou doente, mas se não me puser de pé o corpo e a mente habituam-se ao bem bom da caminha e não pode ser. Chega de mandriar. De pé, decidi escrever. Como se uma coisa tivesse a ver com a outra...
Eu repito: decidi escrever. Em 2013 terminei o meu primeiro draft e fiquei com menos um esqueleto na gaveta com a promessa de reduzir os restantes. Em 2014, peguei-lhe e dei-lhe uma volta de 180º, integrei muitas coisas, novas situações, personagens, twists, mas... achei que ME faltava algo enquanto escrevinhadora, talvez mais experiência como leitora. Vai daí, deixei as ideias em lume brando e dediquei-me à leitura; li de tudo, li muito, li livros pequenos e grandes, em português e inglês, físicos e e-books. 
Em 2015, propus-me a terminá-lo. E quem anda nas ruas do editanço e etc e tal, sabe como funciona. Aiiii, que isto está tão bom. Hãããn qu'é que andaste a beber?!?! Está horrível! Fui eu que e…

"A Grande Revelação", de Julia Quinn

Goodreads
Opinião
Quando se trata de Julia Quinn, não consigo ser imparcial. Não, correcção: não sei ser imparcial. Para falar a verdade, não que o seja nos outros livros que leio, mas com esta autora é diferente.
Este livro é especial, por muitos motivos. Um deles é ter revelado o GRANDE segredo que é absolutamente fenomenal. Ainda outro prende-se pelo dom que ambos os protagonistas têm em comum. Um gosto que também é o meu... e não, não vou dizer qual é porque seria um spoiler de todo o tamanho. Esperei muito tempo – talvez umas duas semanas para comprar o livro que eu pensava que sairia a dia 27 de janeiro, e mais duas semanas para comprá-lo efectivamente depois do lançamento - mas, puf, isto não é nada certo? Nada, comparado com os meses que ficarei à seca à espera do 5#, oh dear Lord…Focando a história, que isso é que importa, tinha muitas expectativas sobre ela. Quando lemos um ou dois livros de uma dada autora, ainda é como a outra. É novidade e, por gostarmos tanto, tanto, tanto,…

yWriter

Nota aos LeitoresDecidi partilhar algumas dicas, programas, sites, etc que me têm ajudado a desempenar na escrita. Incrível foi eu já ter este post escrito e agendado e alguém me dizer: tenta usar a escrita e o blogue como "testemunho" e não como "confidência". Por isso, eis-me aqui... com uma dica que me tem realmente ajudado! 
 *

Utilizo este programa há uns anos e só tenho coisas boas a dizer!

O que é yWriter?