Skip to main content

[Epifanias] - Vergonha? Isso é para...

(não vou dizer para meninas, até porque sou uma)

Há alguns dias assisti a uma aula de Motivação e Emoção, cujo tema de apresentação era a Escrita como Processo Terapêutico.

No fim, houve um debate com um segundo grupo - muito giro, por acaso - em que dinamizaram as perguntas no formato de "Quem quer ser Licenciado?" (em paralelo ao "Quem quer ser Milionário?"). E uma das pergntas era:

Quem tem um blog?


A minha colega do lado, que por acaso paira por aqui de vez em quando, e que também tem um, ficou calada que nem um rato. E, pimbas, calhou-me a mim ser a sacrificada... 'Tadinha! E foi a primeira vez que admiti perante uma plateia - éramos uns 30/35 alunos, vá - e no princípio, senti-me nervosa, mas depois pensei "porque raio estou a sentir-me assim?"... Não fui abençoada por uma resposta nesse dia. Para não variar...

A verdade é que já tinha começado a escrever este post, mas reformulei-o depois dessa aula... Sobre sentir vergonha em ter um blog. É factual que não digo a muita gente que tenho um. Nem sequer à família, com excepção da minha mãe, que não se interessa muito por isso e deixa-me 'sossogadita'.

Mas então porque teimo eu em não admitir que tenho um?

Surgiram-me várias hipóteses:
a) Quero ter o meu espaço privado e partilhá-lo com um pequeno leque de pessoas, excepcionalmente ligadas à blogosfera.
b) Não me sinto preparada para receber críticas (sejam elas positivas ou negativas) pelos conteúdos que aqui partilho.
c) Gosto de separar os vários componentes da minha vida (o ser estudante, o ser blogger, o ser filha...).
d) Simplesmente não quero que ninguém saiba - mas a dúvida persiste: "porquê?".

Bem, que dejá vù que senti agora... parecem os meus exames da Faculdade. Cada opção pior que a anterior e a incapacidade em escolher a mais acertada impera certinha e direitinha, ou torta! Tão certa como as contas para pagar, cuja pontualidade é de fazer 'inbeja' a... pois, ninguém!

Mas continuando... porque não uma junção de todos?
E porque raio estou eu a pensar no que os outros vão pensar acerca de uma coisa que me dá prazer? Geeezz!! *Respira* 

Só me dá vontade de dizer:




Se tenho um blog e escrevo nele - e há quem possa comprovar que 'quase' obceco por ele, que é o meu bebé, ai 'caredo' - porque me meto com m*rdas? Alguém me explica? *Feitiozinho da m*rda, pá*

Assim a escrita deixa de ter o processo terapêutico a que começou por estar associado...

Fico contente, porém, pelo blog já ter alcançado (e ultrapassado) os 100 seguidores no blog, estando a caminho dos 120, um dos objectivos que planeei alcançarmos até ao fim do mês! Obrigada a todos os que se tornaram seguidores! :D Espero que gostem dos conteúdos e se não gostarem... digam-me coisas!

Quanto ao outro desafio era alcançar os 200 seguidores na página do Facebook (faltam apenas 9!!!). Dado que não divulgo muito, acho que, em menos de 4 meses, não é um número mau! Pelo menos... para quem se serve do espaço como um escape, o utiliza para a parvoeira pegada tipo este post, ou para coisas mais sérias como opiniões, divulgações várias, textos... Está no bom caminho! GOSTO DISTO!!


Comments

  1. Quando chegares ao final da cadeira, chegas à resposta... ;P Mas que "raio" de aulas são essas agora? Eu nunca tive isso... LET ME GO BACK!

    Percebo a tua situação e essa necessidade de separação. Mais não digo se não vou passar por maria sabichona só porque li a sebenta do sr. Saraiva e dormi várias vezes com ela debaixo da cabeça. Agora até vais ver a cadeira com outros olhos! (ou então não...)

    ReplyDelete
  2. No inicio também só contei à minha mãe e às minhas melhores amigas do blogue, porque também tinha um pedacinho de vergonha :/

    Agora já há família e amigos a saber, mas levou-me alguns mesinhos a ganhar coragem e falar-lhes do meu espaço.. e agora olho para trás e também me pergunto porque me pus com m§$%#&s :P

    BTW: acho o teu blog fabuloso e não tens motivos para ter vergonha nenhuma *-*

    Continua o óptimo trabalho Ray

    ReplyDelete
  3. Para mim, que fiquei calada que nem um ratinho, a resposta é simples: não gosto do estigma associado ao ser blogger. Ou estigmas , na verdade. Porquê? Porque, em Portugal, se és blogger, das duas uma: és blogger de moda - as pessoas julgam-te a não ser que sejas mega famosa e mesmo assim julgam na mesma, embora tires proveito da situação -; ou então se dizes que tens um blog pessoal, julgam-te porque pensam que a) não escreves nada de jeito, só tipo diário (como aconteceu); b) és uma depressiva que escreve cenas bué estranhas e coiso.
    Outra razão é que eu odeio explicar tintim por tintim o que se passa na minha alma (ou bem, blog), e não gosto de deixar por metade as explicações, por isso calo-me. :P
    Mas não me importo muito se descobrirem por acaso o blog. Aliás eu até tenho um link para o blog em todas as minhas redes sociais, excepto facebook, é uma diferenciação simples: pessoal internauta vs pessoal do dia-a-dia. Cada vez mais me convenço que as pessoas ligadas à Internet ou a alguma base de fãs ou algo que valha, são muito diferentes das outras pessoas, sejam meus amigos ou fãs do mesmo que eu.

    ReplyDelete

Post a Comment

Deixa aqui as tuas epifanias ^^
A gerência agradece :)

Popular posts from this blog

Contos| 5 ideias para escrever

Depois de um mês que foi um D E S A S T R E, surge Março com a luz ao fundo do túnel. 
Ainda estou doente, mas se não me puser de pé o corpo e a mente habituam-se ao bem bom da caminha e não pode ser. Chega de mandriar. De pé, decidi escrever. Como se uma coisa tivesse a ver com a outra...
Eu repito: decidi escrever. Em 2013 terminei o meu primeiro draft e fiquei com menos um esqueleto na gaveta com a promessa de reduzir os restantes. Em 2014, peguei-lhe e dei-lhe uma volta de 180º, integrei muitas coisas, novas situações, personagens, twists, mas... achei que ME faltava algo enquanto escrevinhadora, talvez mais experiência como leitora. Vai daí, deixei as ideias em lume brando e dediquei-me à leitura; li de tudo, li muito, li livros pequenos e grandes, em português e inglês, físicos e e-books. 
Em 2015, propus-me a terminá-lo. E quem anda nas ruas do editanço e etc e tal, sabe como funciona. Aiiii, que isto está tão bom. Hãããn qu'é que andaste a beber?!?! Está horrível! Fui eu que e…

"A Grande Revelação", de Julia Quinn

Goodreads
Opinião
Quando se trata de Julia Quinn, não consigo ser imparcial. Não, correcção: não sei ser imparcial. Para falar a verdade, não que o seja nos outros livros que leio, mas com esta autora é diferente.
Este livro é especial, por muitos motivos. Um deles é ter revelado o GRANDE segredo que é absolutamente fenomenal. Ainda outro prende-se pelo dom que ambos os protagonistas têm em comum. Um gosto que também é o meu... e não, não vou dizer qual é porque seria um spoiler de todo o tamanho. Esperei muito tempo – talvez umas duas semanas para comprar o livro que eu pensava que sairia a dia 27 de janeiro, e mais duas semanas para comprá-lo efectivamente depois do lançamento - mas, puf, isto não é nada certo? Nada, comparado com os meses que ficarei à seca à espera do 5#, oh dear Lord…Focando a história, que isso é que importa, tinha muitas expectativas sobre ela. Quando lemos um ou dois livros de uma dada autora, ainda é como a outra. É novidade e, por gostarmos tanto, tanto, tanto,…

yWriter

Nota aos LeitoresDecidi partilhar algumas dicas, programas, sites, etc que me têm ajudado a desempenar na escrita. Incrível foi eu já ter este post escrito e agendado e alguém me dizer: tenta usar a escrita e o blogue como "testemunho" e não como "confidência". Por isso, eis-me aqui... com uma dica que me tem realmente ajudado! 
 *

Utilizo este programa há uns anos e só tenho coisas boas a dizer!

O que é yWriter?