Skip to main content

[Epifanias] Afinal eu é que tinha a mania...

Se abriram o post com a esperança de ouvir (ou ler) falar mal de mim, podem fechar a janela. 
Se abriram pela curiosidade que o título vos suscitou, força! Continuem a ler!

***

Hoje venho falar-vos de autores. Nacionais, internacionais, jovens autores, autores recentes, autores a viverem lá fora, ou o que quiserem... 

Há um ano atrás, eu ainda não tinha regressado às leituras. Quando recomecei, fi-lo através de dois blogs: Os Livros Nossos e Tertúlias à Lareira

Comecei por escrever opiniões até as administradoras me pedirem ajuda para as entrevistas, nacionais e internacionais. 

E eu pensei para mim: "Fazer entrevistas? Mas... mas... como? Eles não são tipo... vedetas?"
Eu pensava isto, tamanha a minha ingenuidade e burrice. Bom, alguns são vedetas, mas isso há em todo o lado. E há de tudo no mundo dos autores. Por isso, se há vedetas, há "normais", pensei eu. 



A única autora estrangeira que vi ao vivo foi a E.L. James, na sessão de Autógrafos no Colombo, que, apesar de não saber escrever, é extremamente simpática e engraçada. Pelo menos, pareceu-me. E tem uns olhos verdes lindos lindos lindos. 

Porque é que falei nela? Porque eu não falei nada de jeito à frente dela aliado também ao facto de me atrapalhar a falar inglês. Mas fora as dificuldades linguísticas, porquê a atrapalhação? Por ser famosa?

Fica a dúvida. 

Vamos agora aos nacionais... 


(tinha uma lista, mas preferi apagá-la)


Falo com alguns só em certos posts no facebook (tal como alguns leitores, bloggers, etc deixa de tentar ser especial), outros falo mais. A alguns fiz entrevistas, outros não. 

Enfim, eu nunca fui popular na escola, nem na faculdade, e quando alguns autores vieram e vêm falar comigo, eu fico "Porque é que vêm ter comigo? Eu não sou nada! Quer dizer, não tenho livros editados, não sou especial, apenas escrevo meia dúzia de opiniões com base no instinto e nunca justificadas de forma crítica e profissional...". Mas estou a tentar melhorar.
Tudo isto para dizer que afinal eu é que tinha a mania! 


A maioria (só para não dizer todos...) são pessoas normais, com empregos normais, com actividades para além da escrita, até porque é difícil viver da escrita em Portugal, têm os mesmos dramas do quotidiano - ou piores - seja com a editora, seja no ambiente familiar, seja na escola, no trabalho, onde for, como for e com quem for... 

Alguns não sei como são na vida real e no dia-a-dia, mas com alguns tive a felicidade e o orgulho - e tenho, aliás - de poder falar quase todos os dias. De poder partilhar com eles e eles comigo. Claro que não sei tudo, nem é esse o caso, serei alguma stalker? Jasus... Mas fico orgulhosa por me deixarem aceder à janela que dá passagem para um bocadinho da vida deles, nem que seja mesmo um bocadinho...

OMG, serei stalker? Já é a segunda vez que pergunto... Isto não é bom sinal! Oh-oh...

Prefiro pensar que sou entusiasta ('tadinha, está tão iludida!) e cada vitória destes autores sinto-a muito forte cá dentro. Algumas pessoas não pensam ser possível, não acreditam nisso, bla bla bla, tudo bem, têm esse direito. Mas estou a falar a sério e sei o que sinto.


Ser beta-reader 
Se é que me posso chamar assim... não gosto de atribuir rótulos assim ao desbarato. Se por beta-reader entenderem uma pessoa que lê os manuscritos antes de serem editados, então sou. Se entenderem ser alguém mais profissional, com um curso XPTO, esqueçam. Ainda nem terminei a minha licenciatura em Psicologia -.-

A experiência como beta-reader tem sido fantástica, tenho partilhado o que já vos disse. A partilha com outras pessoas é, por si só, uma experiência maravilhosa, mas partilhar com autores, ter o prazer de os acompanhar desde o "princípio" até ao mais ínfimo detalhe é simplesmente... *não tenho palavras*.

Tudo isto para dizer... "Ivonne, da próxima vez que conheceres um autor face to face: respira e não gaguejes. É uma pessoa como tu. Apenas editou um livro (ou mais, a quantidade não vem agora p'ra conversa). Apenas..."

Dito isto, apenas deixo um obrigada aos autores que falam comigo e que me aturam e... para os me em: não sejam como eu. Não tenham medo de falar e não olhem para os autores como vedetas. São pessoas. Just like me, just like you... E são pessoas extremamente simpáticas. Alguns... *cof, cof*  Já sabem como sou: uma no cravo, outra na ferradura.

*** 

P.S. Desculpem os gifs da Jennifer Lawrence vs Jack Nicholson, mas achei genial a cara da Jen! 

Comments

  1. Eheh adorei o post e Também acho que os autores são assim algo fora do nosso alcançe xD

    ReplyDelete
  2. É exactamente assim que me sinto Ivonne :p

    ReplyDelete
  3. Adorei, Ivonne! Obrigada por partilhares este post. Nunca digas que não és nada...apenas tu, porque seres simplesmente tu já é muito especial. Todos somos especiais à nossa maneira, mesmo que achemos que não fazemos nada de jeito! Eu acredito em ti e em todos os teus potenciais, principalmente por seres uma pessoa humilde e tão amiga do seu amigo, uma pessoa que tive o privilégio de conhecer! Obrigada e muita força, seja a ler, seja a escrever, seja em qualquer coisa que te faça feliz! Ok, eu não acredito muito em mim, mas acredito nos outros! Tu és uma dessas pessoas! Beijinhos***

    ReplyDelete

Post a Comment

Deixa aqui as tuas epifanias ^^
A gerência agradece :)

Popular posts from this blog

Contos| 5 ideias para escrever

Depois de um mês que foi um D E S A S T R E, surge Março com a luz ao fundo do túnel. 
Ainda estou doente, mas se não me puser de pé o corpo e a mente habituam-se ao bem bom da caminha e não pode ser. Chega de mandriar. De pé, decidi escrever. Como se uma coisa tivesse a ver com a outra...
Eu repito: decidi escrever. Em 2013 terminei o meu primeiro draft e fiquei com menos um esqueleto na gaveta com a promessa de reduzir os restantes. Em 2014, peguei-lhe e dei-lhe uma volta de 180º, integrei muitas coisas, novas situações, personagens, twists, mas... achei que ME faltava algo enquanto escrevinhadora, talvez mais experiência como leitora. Vai daí, deixei as ideias em lume brando e dediquei-me à leitura; li de tudo, li muito, li livros pequenos e grandes, em português e inglês, físicos e e-books. 
Em 2015, propus-me a terminá-lo. E quem anda nas ruas do editanço e etc e tal, sabe como funciona. Aiiii, que isto está tão bom. Hãããn qu'é que andaste a beber?!?! Está horrível! Fui eu que e…

"A Grande Revelação", de Julia Quinn

Goodreads
Opinião
Quando se trata de Julia Quinn, não consigo ser imparcial. Não, correcção: não sei ser imparcial. Para falar a verdade, não que o seja nos outros livros que leio, mas com esta autora é diferente.
Este livro é especial, por muitos motivos. Um deles é ter revelado o GRANDE segredo que é absolutamente fenomenal. Ainda outro prende-se pelo dom que ambos os protagonistas têm em comum. Um gosto que também é o meu... e não, não vou dizer qual é porque seria um spoiler de todo o tamanho. Esperei muito tempo – talvez umas duas semanas para comprar o livro que eu pensava que sairia a dia 27 de janeiro, e mais duas semanas para comprá-lo efectivamente depois do lançamento - mas, puf, isto não é nada certo? Nada, comparado com os meses que ficarei à seca à espera do 5#, oh dear Lord…Focando a história, que isso é que importa, tinha muitas expectativas sobre ela. Quando lemos um ou dois livros de uma dada autora, ainda é como a outra. É novidade e, por gostarmos tanto, tanto, tanto,…

yWriter

Nota aos LeitoresDecidi partilhar algumas dicas, programas, sites, etc que me têm ajudado a desempenar na escrita. Incrível foi eu já ter este post escrito e agendado e alguém me dizer: tenta usar a escrita e o blogue como "testemunho" e não como "confidência". Por isso, eis-me aqui... com uma dica que me tem realmente ajudado! 
 *

Utilizo este programa há uns anos e só tenho coisas boas a dizer!

O que é yWriter?