Skip to main content

[Opiniões] - "A Noiva Despida", de Nikki Gemmell

Podem ver mais informações aqui

 

Opinião

Já li este livro em Janeiro, mas só agora sai da preguiça em que tenho estado para escrever a opinião. Preparem-se, não é uma opinião fácil. Ou positiva. Comecei por gostar, mas a pouco e pouco enervei-me até odiar o livro por completo.

Resolvi ler em ebook e lê-se rápido. Mas foi o primeiro livro que me fez desejar mandar o tablet - que tinha apenas uma semana - contra a parede. Se fosse em papel, era em papel. Mas coitadinho do livro que nem tinha a culpa...

A sinopse - que podem ver em cima - remete-nos para um diário de uma mulher. Assim pensei eu ao lê-la. E assim pensam vocês. Mas... se é, de facto, um diario, não é o convencional, não é aquele a que nos habituámos, o "Querido Diário, hoje o meu marido está muito distante.". Não, não tem nada a ver. O livro é composto por 138 lições e o narrador estava na 2ª pessoa, ou seja, "Tu vias o que acontecia senão fosses certinha, sabias que o teu marido gostava de pão com queijo e tu davas-lhe pão com fiambre..."* bla bla bla. Não há diálogo, é tudo corrido. Nunca antes tinha lido na 2ª pessoa e não gostei. Ao início, dei oportunidade para ver se entrava, mas nem assim. Comecei por gostar e, no fim, já odiava o livro. Às tantas, já pensava 'mas o narrador está a drigir-se a ela ou a mim?'. 
Não sei se foi por ter lido durante a época de exames, se foi por não ter gostado logo de início, mas pareceu-me que havia alguns buracos e inconsistências na história. E, pior ainda, não percebi quem era o narrador. Pode parecer rídiculo, mas não percebi. Descobri agora pelo goodreads que pode ter sido a mãe que compilou o manuscrito da filha... Já me tinha esquecido desse pormenor. Que frustrante! Que confusão! Mas a minha dúvida persiste: porquê 2ª pessoa? Porque não 3ª?

Dizem por aí que é uma história real - e até se entende as dúvidas todas inerentes a este livro, dúvidas reais que assombram muitas mulheres - mas a 2ª pessoa atravessou-se-me aqui e não desgrudou nem por nada. Eu não senti nenhuma empatia... Simplesmente não consegui sentir e tenho mesmo pena.

O livro é de teor erótico - ou, pelo menos, tudo indicava isso - mas existem poucas cenas sexuais. Sei, pela sinopse, que a personagem principal - e não vos digo o nome, porque não o fixei, nem sequer me recordo de o ter lido... só para verem o mau que isto foi! - tinha problemas de intimidade conjugal e que pensa que o marido a trai com a melhor amiga, Theo, que é também terapeuta sexual. Por isso, aventurou-se a ultrapassar as barreiras do casamento. Conheceu Gabriel Bonilla e começou a saltar a cerca, a dar facadinhas... enfim, retirem as vossas conclusões, não quero spoilar muito. 

Já falei de três personagens: 
Theo - melhor amiga e terapeuta sexual
Principal, cujo nome teimo em não recordar 
E Gabriel. 
Ah, claro, falta o marido, Cole. O Cole é um banana que ali anda, nunca se chega a saber ao certo se é um anjinho ou se também dá facadinhas no matrimónio. A meu ver, história real ou não, ficaram todas mal desenvolvidas, nenhuma me ficou na cabeça, nenhuma foi memorável de forma positiva, nenhuma me fez amar a história, mesmo com a desvantagem da 2ª pessoa. 

A escrita é demasiado simples. Gostei apenas pelo facto de não ter de puxar pela cabeça na altura em que o li (exames), mas em condições normais penso que não acrescenta nada de novo a um leitor ávido - não que eu o seja, mas estou a falar para futuros leitores.

O final foi outra coisa que nao percebi, foi um final muito mau mesmo. Sabemos que ela e o filho desaparecem, à beira do penhasco, e que deixa o tal diário para trás e não sabemos o que acontece. Fica a dúvida no ar... eu gosto de finais em aberto, mas este é exagerado. Terá sido o marido? Terá sido o amante? Terá sido alguma rival? Terá sido ela própria? Credo, nunca me senti tão confusa e frustrada com uma história...

Portanto: sinopse, narrador, escrita, personagens, final. Tudo pontos desfavoráveis. Gostei da capa e do título. E da mensagem geral. Mas tudo isso, por si só, não faz milagres.

Concluindo: foi uma leitura pesada e confusa e que me decepcionou muitíssimo. Esperava mais. Muito mais. Talvez se tivesse sido na 1ª, ou mesmo na 3ª pessoa, conseguisse ter tido mais ligação com a história. Infelizmente, não foi o caso. 

*Exemplo meramente ilustrativo.

Comments

Popular posts from this blog

Contos| 5 ideias para escrever

Depois de um mês que foi um D E S A S T R E, surge Março com a luz ao fundo do túnel. 
Ainda estou doente, mas se não me puser de pé o corpo e a mente habituam-se ao bem bom da caminha e não pode ser. Chega de mandriar. De pé, decidi escrever. Como se uma coisa tivesse a ver com a outra...
Eu repito: decidi escrever. Em 2013 terminei o meu primeiro draft e fiquei com menos um esqueleto na gaveta com a promessa de reduzir os restantes. Em 2014, peguei-lhe e dei-lhe uma volta de 180º, integrei muitas coisas, novas situações, personagens, twists, mas... achei que ME faltava algo enquanto escrevinhadora, talvez mais experiência como leitora. Vai daí, deixei as ideias em lume brando e dediquei-me à leitura; li de tudo, li muito, li livros pequenos e grandes, em português e inglês, físicos e e-books. 
Em 2015, propus-me a terminá-lo. E quem anda nas ruas do editanço e etc e tal, sabe como funciona. Aiiii, que isto está tão bom. Hãããn qu'é que andaste a beber?!?! Está horrível! Fui eu que e…

"A Grande Revelação", de Julia Quinn

Goodreads
Opinião
Quando se trata de Julia Quinn, não consigo ser imparcial. Não, correcção: não sei ser imparcial. Para falar a verdade, não que o seja nos outros livros que leio, mas com esta autora é diferente.
Este livro é especial, por muitos motivos. Um deles é ter revelado o GRANDE segredo que é absolutamente fenomenal. Ainda outro prende-se pelo dom que ambos os protagonistas têm em comum. Um gosto que também é o meu... e não, não vou dizer qual é porque seria um spoiler de todo o tamanho. Esperei muito tempo – talvez umas duas semanas para comprar o livro que eu pensava que sairia a dia 27 de janeiro, e mais duas semanas para comprá-lo efectivamente depois do lançamento - mas, puf, isto não é nada certo? Nada, comparado com os meses que ficarei à seca à espera do 5#, oh dear Lord…Focando a história, que isso é que importa, tinha muitas expectativas sobre ela. Quando lemos um ou dois livros de uma dada autora, ainda é como a outra. É novidade e, por gostarmos tanto, tanto, tanto,…

yWriter

Nota aos LeitoresDecidi partilhar algumas dicas, programas, sites, etc que me têm ajudado a desempenar na escrita. Incrível foi eu já ter este post escrito e agendado e alguém me dizer: tenta usar a escrita e o blogue como "testemunho" e não como "confidência". Por isso, eis-me aqui... com uma dica que me tem realmente ajudado! 
 *

Utilizo este programa há uns anos e só tenho coisas boas a dizer!

O que é yWriter?